Tutorial de iniciação ao modulo wireless ESP8266

esp01

 

Atualmente com a popularização da conectividade e mobilidade, estamos vendo cada vez mais dispositivos conectados a internet. Entre os diversos módulos que surgem que exploram o mundo da Internet das Coisas (IoT), o que mais se destacou foi o ESP8266 que chamou muito a atenção pelo seu tamanho, potencial e principalmente seu preço que gira em torno dos $ 5,00 (5 dolares).

Nesse tutorial pretendo somente mostrar as configurações, pinagens e informações relevantes sobre esse fantástico módulo, e mais para frente fazer novos posts com projetos implementados com esse módulo.

O módulo WiFi ESP8266 é um SOC, com protocolo TCP/IP integrado, que consegue dar a qualquer microcontrolador acesso a sua rede WiFi. O ESP8266 é capaz tanto de hospedar uma aplicação quanto descarregar todas as funções de redes WiFi a partir de outro processador de aplicação. Cada módulo ESP8266 vai pré-programado com um comando AT setando seu firmware, significando que você pode simplesmente ligar este módulo ao seu Arduino e ele vai funcionar como qualquer outro shield WiFi funcionaria. Este módulo tem um ótimo custo x benefício e possui uma comunidade de usuários enorme, e continuamente em crescimento.

Esse módulo possui um processador na placa poderoso o suficiente para ser capaz de realizar integração com sensores e outras aplicações específicas usando seus GPIOs, com necessidade de pouco desenvolvimento. Por ser um chip bastante completo, ele requer pouquíssimos componentes na placa, o que torna a placa muito pequena ocupando pouco espaço em seu projeto. O ESP866 suporta APSD para aplicações VOIP e interface com bluetooth pré-existente, ele possui RF auto-calibrável permitindo que ele trabalhe em todas as condições de operação, e não requer nenhuma parte RF externa.

 

ESP8266 PORTAS

PINOS:

  • Vcc: Tensão de alimentação 3,3V. Módulo consome até 300 mA;
  • GND: Sinal de Terra GND;
  • Tx: Sinal de Tx do módulo, a ser conectado no Rx do microcontrolador (Sinal em 3,3V);
  • Rx: Sinal de Rx do módulo, a ser conectado no Tx do microcontrolador (Cuidado! Sinal em 3,3V!);
  • RST: Sinal de Reset/Restart acionado em nível baixo (GND);
  • CH_PD: Sinal de habilitação do chip (chip enable), usado para gravação de firmware ou atualização. Deve ser mantido em nível ALTO para operação normal;
  • GPIO0: Pode ser controlado pelo firmware, e deve ser colocado em nível baixo (GND) para modo update, ou em nível alto para operação normal;
  • GPIO2: I/O que pode ser controlada pelo firmware;
  • LED:Quando está ligado, fica aceso em cor Vermelha, e aciona a cor Azul para indicar atividade. Pisca uma vez para indicar momento de boot.

 

Segue abaixo um conjunto de especificações do ESP8266:

  • É um System-On-Chip com Wi-Fi embutido;
  • Tem conectores GPIO, barramentos I2C, SPI, UART, entrada ADC, saída PWM e sensor interno de temperatura;
  • CPU que opera em 80MHz, com possibilidade de operar em 160MHz;
  • Arquitetura RISC de 32 bits;
  • 32KBytes de RAM para instruções;
  • 96KBytes de RAM para dados;
  • 64KBytes de ROM para boot;
  • Possui uma memória Flash SPI Winbond W25Q40BVNIG de 512KBytes ou 1Mb;
  • O núcleo é baseado no IP Diamand Standard LX3 da Tensilica;
  • Fabricado pela Espressif;
  • Existem módulos de diferentes tamanhos e fabricantes.

 

Atenção: O ESP8266 não é capaz de fazer alterações em nível lógico de 5V para 3,3V, e vice-versa. É recomendado o uso de um Conversor de Nível Lógico junto ao módulo. NÃO alimente a placa diretamente com 5V de sua placa de desenvolvimento. É importante também notar que a entrada analógica não está disponível nos pinos deste módulo, portanto não há como fazer leituras analógicas com esta versão do ESP.

 

DOCUMENTAÇÃO EXTRA SOBRE O ESP8266:

Sobre Edvan da Silva Oliveira

Graduando em Engenharia da computação, apaixonado por tecnologia.